3/22/2017

AÇÃO EXAGERADA: Após críticas de delegado à "carne fraca", PF recua e fala em problema pontual


Repercutiu com força a declaração do presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Carlos Eduardo Sobral, de que a PF teria errado no modo como divulgou para a imprensa e para a sociedade a operação carne fraca.
Já no final da tarde de terça-feira (21/3), a direção da Polícia Federal soltou uma nota em conjunto com o Ministério da Agricultura afirmando que não se trata de um problema sistêmico.
Os delegados da PF estão reunidos em congresso da ADPF em Florianópolis, onde o informe foi interpretado como um recuo. Um delegado com notória liderança na classe disse que “já tinha demorado” para o comando da PF dar a mão à palmatória.
A afirmação de Sobral foi feita na segunda-feira (20/3), primeiro dia do congresso da associação nacional da categoria, em Florianópolis. Para ele, ficou evidente que havia corrupção de fiscais e problemas em frigoríficos.
“Mas isso foi um problema sistêmico? Não vi os colegas da operação dizendo isso. Mas quando se coloca que foi a maior em operação da história da polícia leva ao entendimento de que é algo muito maior do que pode ser na prática", disse.
“Embora as investigações da Polícia Federal visem apurar irregularidades pontuais identificadas no Sistema de Inspeção Federal (SIF), tais fatos se relacionam diretamente a desvios de conduta profissional praticados por alguns servidores e não representam um mau funcionamento generalizado do sistema de integridade sanitária brasileiro”, diz a nota conjunta da PF e do Ministério da Agricultura.
O delegado da PF responsável pela segurança nos Jogos Olímpicos, Andrei Augusto Passos Rodrigues, disse em entrevista à ConJur que a “comunicação social da entidade é um dos pilares para informar bem sobre as operações e evitar qualquer efeito colateral indesejado”, mas não entrou em detalhes sobre a operação carne fraca.
Luiz Roberto Ungaretti de Godoy, delegado da PF com maior experiência em operações de combate ao narcotráfico, ressaltou que a “questão da comunicação das grandes operações, aquelas que têm um contexto político e econômico enorme como essa [carne fraca], muitas vezes geram essas polêmicas. A gente percebe que toda vez que a operação lida com elementos de corrupção, qualquer palavra pode gerar uma grande repercussão. Mas PF tem que divulgar seu trabalho e a sociedade demanda isso”.
Ministros criticam

O modo estridente como a PF divulgou a investigação contra frigoríficos e fiscais foi também foi tema de declarações de ministros do Supremo Tribunal Federal. O ministro Dias Toffoli, chamou de “pirotecnia” o modo de divulgar a operação. "Se todos comêssemos carne podre não estaríamos em sessão, mas no hospital". 

Em sessão da 2ª Turma, o ministro Gilmar Mendes foi enfático: “Um delegado decide fazer uma operação, a maior já realizada no Brasil, para investigar a situação de carnes e anuncia que estaríamos comendo carne podre e que o Brasil estava exportando para o mundo carne viciada. Por que ele fez isso? Porque num quadro de debilidade da política, não há mais anteparo, perderam os freios, não há mais freios e contrapesos".

 (Do Conjur) 

Dia Mundial da Água: o Maranhão tem muito o que comemorar, garante Governo do Estado


(SECOM-MA)

O Dia Mundial da Água é comemorado em 22 de março desde o ano de 1993. Essa data busca a conscientização a respeito da importância da água para os seres vivos. O Estado do Maranhão tem muito o que comemorar nessa data.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) luta diuturnamente para a melhor gestão das águas no Estado, por meio de vários projetos e ações. Um exemplo é a criação dos Comitês de Bacia Hidrográfica. O Estado do Maranhão possui dois comitês, o do Rio Mearim e do Rio Munim. Os Comitês são colegiados formados por representantes da sociedade civil organizada, usuários de água e representações do poder Público. Tem entre suas atribuições promover debates relacionados com os recursos hídricos, articular a atuação das entidades, propor planos, programas e projetos para a utilização de recursos hídricos da respectiva bacia hidrográfica. Em andamento estão os dos rios Itapecuru, Balsas, Preguiças e Parnaíba. Este último em parceria com os estados do Piauí e Ceará.

Além, disso a Secretaria trabalha firme na inspeção dos rios, objetivando examinar vários aspectos, tais como: as dificuldades da navegação, matas ciliares, lançamentos de efluentes, captações diretas e extrações de areia, além de diversos outros olhares.

E para melhor gerir a água, o Estado aderiu a dois programas da Agência Nacional das Águas (ANA). O Programa de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas (Progestão) e Programa de Estímulo à Divulgação de Dados de Qualidade de Água (Qualiágua).

Neste ano a SEMA deu início ao Plano Estadual de Recursos Hídricos. O Plano delineará estratégias de curto (cinco anos), médio (dez anos) e longo prazo (vinte anos) para assegurar os usos múltiplos das águas, conservação, proteção e recuperação das bacias hidrográficas estaduais, além de subsidiar a tomada de decisões dos membros do Sistema Estadual De Gerenciamento Integrado De Recursos Hídricos.

O Estudo Hidrogeológico da Região Metropolitana de São Luís - Subsídios para o Uso Sustentável dos Recursos Hídricos. Uma outra ação importante na preservação das águas. “A elaboração do estudo do levantamento das águas dos subsolos é de extrema importância e auxiliará o Governo do Estado na gestão dos recursos hídricos da Grande Ilha, pois pretende fornecer os subsídios necessários para a continuidade da gestão das águas futura e atual da Ilha", explicou o Secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Marcelo Coelho.

Além de tudo isso, tem o monitoramento e medição da qualidade de água das praias de São Luís e São José de Ribamar. São 21 pontos acompanhados semanalmente, localizados nas praias de Ponta d’Áreia, São Marcos, Calhau, Praia do Meio, Olho d’Água e Aracagy.


“São ações importantes para o fortalecimento da gestão das águas no Estado”, finalizou o gestor. 

3/21/2017

Hemomar recebe doações no Dia Mundial do Jovem Adventista


Diversas ações sociais foram realizadas na cidade durante a semana comemorativa

O Projeto Vida por Vidas é coordenado pelos jovens da Igreja Adventistas do Sétimo Dia, e desde 2006 faz parte do calendário de atividades oficiais da Igreja em toda a América do Sul. Em 2017 esta campanha ganhou ênfase mundial por ocasião da celebração do Dia Mundial do Jovem Adventista (Global Yoyth Day), comemorado no dia 18 de março.

O estudante Michel Ribeiro aproveitou a oportunidade para ajudar pessoas: “acho importante salvar vidas de pessoas que eu nem conheço, já faz um tempo que sou doador”, afirmou.

Para a assessora do Hemomar Imperatriz, Lidimar Fernandes, os doadores chegaram num momento oportuno, pois estavam enfrentando uma baixa no estoque de sangue: “O Vida Por Vidas é uma campanha séria, são nossos parceiros há algum tempo e só tem somado com nosso trabalho no abastecimento do nosso banco de sangue. É louvável o incentivo dessa igreja! Muito bom ver esses jovens empenhados nessa causa, estão todos de parabéns pela iniciativa”, comemorou.

Este é um projeto anual promovido pela Igreja Adventista do 7º Dia. Criada em 2005 e premiada em 2006 pela Organização Mundial de Saúde, a campanha já somou mais de 300 mil doadores em oito países da América do Sul.

O Projeto Vidas por Vidas alcançou êxito e credibilidade. E através de cadastros, têm os participantes têm sido acionados, para atender necessidades emergenciais.

Outras ações
Mas não foi só doação de sangue, na semana que antecedeu essa comemoração, os jovens adventistas ao redor do mundo realizaram ações que lhes são comuns como, por exemplo, limpeza de praças, vistas a asilos e hospitais e realizaram ainda arrecadação e distribuição de alimentos à população carente.

Em Imperatriz não foi diferente. Os jovens participaram de uma espécie de acampamento denominado AcampJA online, onde o líder para a região sul do estado, pastor Nazareno Santos, lançava provas diariamente via live no Facebook, dando o prazo de 24h para sua execução e postagem nas redes sociais. Dentre os desafios estava a adoção de um mendigo por um dia e conscientização da importância de hábitos saudáveis nas academias e espaços públicos.

Pacientes da UPA do Centro, também foram visitados e as mulheres foram especialmente homenageadas em alusão ao também Dia Internacional da Mulher. Elas receberam flores e os demais, literatura cristã.

Janaína da Silva Araújo, líder dos Jovens Rosas de Sarom, da congregação localizada na Avenida Newton Belo, participou durante toda a semana e conta como foi desafiador conduzir seus jovens: “Foi muito corrido, mas muito gratificante poder ajudar pessoas, especialmente quando ajudamos a um mendigo, foi realmente marcante a experiência”, revelou a diretora.
Simone Joe

Assessora de Comunicação da Igreja Adventista no sul do Maranhão